SOU DESSAS

Sou dessas que fogem do óbvio. Eu gosto de livros e não assisto novelas, amo perfumes, bolsas, sapatos, mas também curto cerveja e futebol. Não recuso convite para comer fondue e tomar vinho, e também não dispenso aquele dogão da esquina na madrugada. Sou do rock, do samba, da bossa nova, do sertanejo, do funk e do que mais tocar, tenho minhas preferências musicais consolidadas, mas não deixo de ir a lugar algum por causa da música, deixo meu radicalismo para coisas que julgo mais importantes.

Quando ouço uma história eu sempre me interesso em saber sobre aquilo que ninguém se interessou, eu presto atenção nos detalhes, faço perguntas sobre o que não foi contado, reparo no comportamento do narrador, na respiração, no olhar.  Sou intuitiva até a alma, trouxe isso de outras vidas, com toda certeza. Minha intuição é tão certeira que a chamo de melhor amiga, apesar de nem sempre ter me trazido boas notícias, mas não rejeito seus conselhos. Não mais.

Meu faro com pessoas é canino, eu reconheço fácil gente mal intencionada, embora já tenha me deixado enganar algumas vezes. O faro é canino, mas o coração é humano, às vezes ele dá bobeira. Mas esses tombos não prejudicaram a minha capacidade de sonhar ou tiraram a minha fé nas pessoas. Sou dessas que quando ama, ama de graça, mas amar de graça não quer dizer fazer caridade, eu espero sim o mínimo de reciprocidade e consideração.

Sonho muito e incentivo os outros a sonharem também, acolho esses sonhos como se também fossem meus e gosto de acompanhar até que se realizem. Me preocupo em acolher também aqueles que visivelmente encontram-se feridos, faço o que posso para tentar sarar os danos emocionais que possuem, ainda que seja só com abraços. Ofereço os sentimentos bons que gosto de cultivar em mim, de bandeja, aos que se abrem para receber, assim sinto que me liberto daquilo que mais rejeito no ser humano, o egoísmo.

Minha capacidade de superação vem de uma fonte inesgotável, é uma força invisível que me mantém de pé, a cada queda levanto mais forte, faço mais planos e me sinto mais determinada. Sou forjada dessa vontade insana de ir mais longe, os “nãos” da vida não me amedrontam. Se construírem um muro no meu caminho, eu crio asas.

Sempre carrego nos bolsos um punhado de esperança. Minha alma se alimenta de amores, risadas e histórias.  Sou dessas racionais que se emocionam com filmes bobos e crianças. Gosto de manter o otimismo e pensamentos positivos, isso traz a leveza que preciso para atravessar os dias. Sou feita de um tecido transparente, que transforma dor em rima. Uso o tempo como aliado e sou de me doar inteira para aqueles momentos que ressignificam a vida.

EU SEI E VOCÊ SABE

Eu sei que às vezes parece que você tá carregando o mundo nas costas. Você até acorda com motivação, faz planos para semana toda, quer colocar a matéria acumulada em dia, zerar os processos na firma, fazer meia hora de caminhada, também quer manter o bom humor, faz questão de ser gentil com cada pessoa que cruza com você, se preocupa em elogiar e fazer com que as pessoas se sintam importantes, mas aí alguém vem com um balde de frustração e joga uma carga grande em você.

Eu sei que você se pergunta onde está a reciprocidade, que você já pensou em largar tudo, voltar para casa, se esconder no quarto, embaixo do edredom, e nunca mais sair. Ou meter o pé na estrada e não deixar endereço. Afinal, isso tudo faz algum sentido?  Pensar nos outros, planejar casa segundo de vida, criar milhões de expectativas com esses planos e ainda ter que se preparar para desviar das pessoas que estão prontas para triturar os seus projetos, há quem se alimente da infelicidade alheia.

Eu sei que você se frustra com isso, fica triste, perde a fé, cansa, chora, desanima, chega a pensar que as coisas bonitas da vida não foram feitas para você. Que tudo é sempre mais difícil no seu caminho, que não vale a pena oferecer gentilezas, ser do bem ou fazer planos, porque as pessoas são máquinas de moer sonhos, o mundo anda cheio de desencantos e você se sente cada vez mais só.

Eu também sei que vai parecer clichê, mas não desanima. São pessoas iguais a você que sustentam o mundo, por isso você sente bem mais que os outros, porque você nasceu com a alma sensível e recheada de delicadezas. Você se importa com o outro, e o ato de se importar é uma rebeldia, é uma transgressão. Mas não desiste. Você sente que não se encaixa nesse mundo porque você nasceu com a missão de criar um mundo novo, contaminando as pessoas com o que você tem de mais bonito, se importar e ser do bem.

Desejo que o seu dia seja colorido de gentilezas e reciprocidade! Gratidão por não desistir!

POESIA

Costurei um agasalho
Com tecido de amor
A linha da caridade foi o fio condutor.
Agulhas de compaixão
Estampas de gratidão
E fiz um bolso, aqui do lado
Enchi ele de bondade
Pra ver se a humanidade
Tem jeito pra se ajeitar.
Basta ser mais solidário
Para fazer o mundo novo
Transformando esse cenário.
Olha além da sua porta
Para ver se você suporta
Assistir indiferente
Quem dorme no meio da rua
Coberto só pela lua
Sem ter um teto descente.
Tem jeito para se ajeitar.
Sendo menos egoísta
Enxergando quem precisa
Sem um olhar elitista
Sem se achar superior
A um irmão sofredor
Sem casa, sem endereço
Que mesmo sem ser culpado
A vida pega pesado
E lhe cobra um alto preço.
Tem jeito para se ajeitar.
Basta tu compreender
Que quando se ajuda alguém
O ajudado é você.
É você que ganha paz
É você que ganha mais
Mais amor, mais gratidão.
Doando um cobertor
Derretendo o frio da dor
E aquecendo coração.
Tem jeito para se ajeitar.
(Bráulio Bessa)

EX BOM É…

Hoje o celular tocou e eu mal pude acreditar quando vi quem estava ligando. Era o meu ex. O coração começou a pular no compasso da bateria da Mangueira no desfile das campeãs, minhas mãos começaram a tremer e meu corpo a suar. Atendi o telefone tentando disfarçar todas essas sensações com um meigo:

– Alô?

Do outro lado, aquela voz que eu quase não lembrava mais como era respondeu com um charmoso:

– Oi, quanto tempo, como você está?

Respondi com simpatia, mas já aproveitei para perguntar o motivo da ligação, afinal, já havia muito tempo que não nos falávamos. Esse foi um dos pedidos dele à época do término, disse que não queria contato comigo porque isso seria melhor para mim. Ele sempre se preocupou muito comigo mesmo. (insira aqui um suspiro)

Então ele começou a explicar o motivo da ligação, e o meu coração passou a bater ainda mais acelerado. Ele disse que sentiu saudades de mim e de tudo que vivemos juntos, que eu fui a melhor mulher que ele já conheceu, nessa hora meu sorriso mal cabia no meu rosto.

Disse também que eu fui a mulher mais inteligente, carinhosa, educada, compreensiva e honesta que já passou na vida dele. Que sentia falta até da minha vaidade, de me esperar sempre uns minutos a mais porque eu me atrasava para me arrumar, mas que hoje ele percebia que era por um bom motivo, porque eu estava sempre linda, elegante e incrivelmente perfumada. Achei um tanto curioso, porque na época que namorávamos ele sempre reclamava e fazia cara feia por isso,  mas esse pensamento rapidamente desapareceu, eu estava muito feliz de ouvir aquilo.

E não parou aí, disse que todas as namoradas que teve depois de mim só trouxeram ainda mais a certeza de que eu sou a mulher da vida dele, que nenhuma delas sobrevive à minha memória, porque ninguém amou ele do jeito que eu amei, ninguém se preocupava com ele, ou tinha o mesmo cuidado que eu tinha com ele. Não foi fofo?

A família dele me ama, estão todo ansiosos pela nossa reconciliação. Ele ainda disse que sempre fiz muito bem para ele, que só eu sabia como acalmá-lo, que eu sempre trazia soluções para vida dele, que só de ouvir a minha voz novamente o dia dele já havia melhorado.

Meu coração já na cabia mais no meu peito, meu sorriso não escondia a felicidade por aquele momento que eu esperei por tanto tempo, não nego.

Continuou dizendo que não via mais motivos para estarmos separados, que ele estava pronto para finalmente me tratar do jeito que eu sempre mereci, porque agora ele havia se dado conta do valor que eu tinha. Por fim, disse que eu sempre tive razão quando dizia que ele nunca iria encontrar outra mulher igual a mim e que ele seria um idiota se me perdesse.

Nesse momento eu já não conseguia segurar a emoção. Desde que ele terminou comigo esperei pacientemente por essa oportunidade, eu tinha certeza que ela chegaria, afinal, ele não exagerou em nada, eu sempre fui uma mulher excepcional mesmo, com o perdão da falta de modéstia.

Depois de ouvir tudo que ele disse com um sorriso que nem cabia em mim e fazer a dancinha da vitória em vários momentos, eu disse aquelas três palavrinhas que guardei por muito tempo no coração, enquanto planejava mentalmente a oportunidade para dizê-las:

– EU TE AVISEI!

E desliguei. Esse era um capítulo da minha vida que eu já havia encerrado, mas eu não perderia a chance de dizer essas três palavras que me trouxeram uma satisfação que nada no mundo vai pagar.

*dancinha da vitória*

SOBRE ABRIR PORTAS

Dia desses aguardando para iniciar uma palestra ouvi um grupo que conversava ao meu lado. Me chamou atenção quando alguém falou que “é importante conhecer as pessoas certas”. Não sei o contexto da conversa, mas quem nunca ouviu essa frase?

A gente sabe bem em qual contexto ela é sempre empregada, e se refere sempre a conhecer pessoas com algum poder econômico ou status.

Isso me fez lembrar de uma vez em que fui buscar umas amigas que estavam em uma festa. Quando me aproximei da porta vi uma moça que discutia insistentemente com pessoas que trabalhavam no local, eles diziam que ela não poderia mais entrar porque já havia encerrado o horário. Ela insistia em entrar, dizia que queria voltar para o interior da festa, que conhecia o dono do lugar e iria entrar de qualquer jeito.

Meu celular estava sem bateria e eu não tinha como avisar às minhas amigas que já estava ali esperando-as. Depois de ouvir a discussão, já estava quase indo embora para buscar outra solução, quando um dos rapazes que estava na porta me cumprimentou, nos conhecíamos de algum lugar, ele perguntou o que eu queria, expliquei rapidamente e ele então perguntou se eu queria entrar para procurá-las, falei que sim e entrei sob protestos furiosos da outra moça. Encontrei as amigas e saímos. A moça ainda estava lá na frente, na mesma discussão e com os mesmos argumentos.

Moral da história: é preciso sim conhecer as pessoas certas, mas isso nada tem a ver com pessoas com poder econômico ou posses. O “certo”, nesse caso, é muito subjetivo. É imprescindível que façamos conexões mais sólidas com as pessoas. As estruturas precisam ser profundas e ao mesmo tempo delicadas, é preciso ir além de aparências e convenções sociais, estamos todos carentes dessas relações.

Quer saber como abrir portas? Domine as artes da gentileza e da educação. Quem souber como usá-las terá armas poderosas nas mãos. Não há nada impossível para quem trata tudo com essas duas forças. O que você não conseguir conquistar com gentileza e educação, dificilmente conseguirá de outro jeito.

Qual outro investimento custa tão pouco e rende tanto?