SORORIDADE?

Não vejo sentido no discurso de que mulheres são obrigadas a defenderem outras mulheres, pelo incrível motivo de serem do mesmo sexo. Não é porque somos mulheres que estamos sempre corretas, cheias de razão, nossas ideias e atitudes são perfeitas e não causamos danos ou cometemos crimes.

Eu não acho correto que os homens se apoiem, mesmo quando estão nitidamente errados, só por serem homens. Não é correto que militares, advogados, médicos e tantas outras classes apoiem um integrante, que cometeu um ato que merece punição, só por serem da mesma classe, não é mesmo? Então por que eu iria achar bonito e perfumado que mulheres apoiem outras mulheres, mesmo quando não há razão para isso, só por serem mulheres? Incoerente.


Pois eu não quero que me apoiem quando eu estiver errada. Não quero que digam que eu estou bonita quando eu não estiver. Não quero que passem a mão na minha cabeça se eu prejudicar outro ser humano. Quero que apontem meu erro, quero que me deixem saber que errei, que falei bobagem, que aquela roupa não me caiu bem, que a minha atitude não foi a mais sensata na ocasião, assim estarão me dando a oportunidade de me corrigir, de mudar, se assim julgar ser o melhor. Não tenho compromisso com o erro. Quero ser um ser humano melhor em todos os aspectos e para me corrigir, preciso saber que errei. Para crescer, preciso conhecer o que me limita.


Não vamos mudar o mundo, nem a maneira como alguns enxergam as mulheres, com atitudes e discursos contraproducentes. Não enganem as colegas com um discurso insustentável de união e apoio, a qualquer custo, na frente da platéia. Porque nós vemos que isso, por trás das cortinas, não se sustenta perenemente. O que é bem pior.


Sejamos leais aos nossos princípios, as leis, aos conceitos de moralidade, igualdade, respeito, honestidade, cidadania, quem estiver dentro disso merece nosso apoio, independente de sexo, cor, religião e partido político.


Mulherada, a gente não precisa se apoiar no erro para crescermos ou demonstrar amizade. Na verdade, amigo é quem te aponta o erro e te mostra caminhos para crescer, mesmo que você não os escolha. Também não precisamos estar com pensamento 100% alinhado, todas repetindo o mesmo discurso ensaiado, isso não quer dizer somar forças sempre. Quando 10 pessoas pensam iguais, 9 são desnecessárias. Há muita força na singularidade também.

SINTONIZANDO COISA BOA

Perdi a vontade de revidar. E tenho comemorado muito essa mudança. Antes agia sempre com tanta ferocidade, achava que isso era valentia. Quanta tolice! Descobri que minha coragem fez morada na mansidão. Hoje não faço mais questão de ser agressiva, quero ser calmaria. A voz, que sempre foi suave, me ajuda a suavizar também os movimentos, os atos, as palavras, os pensamentos. Só os olhos que ainda teimam em parecer dois canhões prontos para dizimar cidades, quando me sinto contrariada. Minha visão é um sentido inocente, não consegue disfarçar o que sente. Mas acho que a maturidade também vai cuidar disso. Ela já cuidou de melhorar tantos sentidos meus e de trazer tantos novos sentidos, que é questão de tempo para suavizar também o olhar. Coisa boa é vibrar paz.

6f1e4eaea650d6e7f2ac9acd7dd22261

A GERAÇÃO DE MULHERES QUE NÃO NASCEU PARA SER ENFEITE

Dia desses, num evento de trabalho, formou-se um painel de debate com 8 homens e apenas 1 mulher. Faço a conta apenas descritiva, a intenção não é apontar dados ou questões feministas.

Quero contar que nesse debate haviam 8 homens com currículos de alto nível desenvolvendo o assunto debatido, mas foi a única mulher ali presente que conseguiu prender a atenção de todos. A abordagem dela foi irretocável, além do conhecimento, a firmeza e eloquência com que contestou fatos ali abordados, deixaram outros debatedores sem palavras. Momentos assim são inspiradores. Eu quase podia ver a família daquela mulher, se ali estivesse presente, aplaudindo orgulhosa.

Imediatamente lembrei das mulheres que ainda preferem sabotar todo o seu potencial. Certa vez, uma me disse que as mulheres não são tão bem sucedidas quanto os homens porque tem que cuidar de afazeres domésticos, e não sobra tempo para investir no crescimento profissional, por exemplo. Que bobagem!

Quantas mulheres conheço que são bem sucedidas profissionalmente e construíram isso enquanto cuidavam dos filhos, da casa, do corpo e da mente. Mas alguém vai dizer que uma mulher assim, provavelmente, deve ter algum super poder. Claro que tem! Esse super poder é uma combinação de foco, organização do tempo e determinação. E está ao alcance de todas.

O problema é que muitas mulheres ainda tem como projeto de vida apenas um casamento, e esperam tudo dele. Não se dedicam a mais nada. Ou investem apenas em seus corpos, bolsas, sapatos, maquiagens e uma lista imensa de futilidades que não sustentam 20 minutos de conversa, porque não possuem nada mais para oferecer.

É certo que por muito tempo as mulheres foram criadas para se comportarem apenas como donas de casa, mas isso já não faz mais parte da nossa realidade. Nem os homens esperam mais esse comportamento das mulheres. Então por que há aquelas que ainda se limitam dessa maneira?

Há ainda as que cultivam esse comportamento por acharem que é a melhor maneira de sustentarem um relacionamento, acreditam que homens preferem mulheres ignorantes e dependentes. Quem nunca ouviu isso?

Essas ignoram o fato de que qualquer tipo de relação se sustenta, dentre outras coisas, na admiração e nós precisamos ser dignos dela. Reparem nos pais, amigos, namorados, maridos de mulheres que realizam coisas grandiosas, que conquistaram títulos acadêmicos, o cargo importante na firma, conhecem outra cultura, falam outra língua, são politizadas, dão pitaco sobre futebol, tem a solução para a crise econômica do país, cozinham aquela costelinha com tempero delicioso e ainda encontram tempo para se divertir, ter um hobby, fazer academia.

Aquelas mulheres que sabem investir em si mesmas, que não esperam pelo tempo favorável para nada, elas fazem o próprio tempo. Elas levantam a moral dos parceiros, dão o passe para o gol e não perdem a beleza, a doçura, a feminilidade. Apesar da rotina pesada elas esbanjam leveza, são donas de si e do que mais elas quiserem.

Quem disse que homens não ficam encantados e não desejam mulheres assim não entendeu nada ainda. Ficou presa na insegurança e no estereotipo das mulheres que foram criadas para enfeitar a vida de outro ser. Enfeites servem para quê? Depois de algum tempo perdem o graça e só acumulam poeira.

Não há problema em planejar a vida para ter alguém nela. Mas quem tá disposto a carregar alguém sozinho? Quase todo mundo deseja um parceiro para a vida, no entanto, uma parceria necessita de experiências e conhecimentos para serem somados. Caso contrário, você só será o apoio de alguém que vai sugar tudo de você, e não vai te devolver nada.

Para essa geração, definitivamente, não cabe mais o papel de mulheres que só servem de enfeite. Estamos todos carentes de pessoas que sirvam de inspiração e que possamos admirar. Seja essa pessoa!

SOU DESSAS

Sou dessas que fogem do óbvio. Eu gosto de livros e não assisto novelas, amo perfumes, bolsas, sapatos, mas também curto cerveja e futebol. Não recuso convite para comer fondue e tomar vinho, e também não dispenso aquele dogão da esquina na madrugada. Sou do rock, do samba, da bossa nova, do sertanejo, do funk e do que mais tocar, tenho minhas preferências musicais consolidadas, mas não deixo de ir a lugar algum por causa da música, deixo meu radicalismo para coisas que julgo mais importantes.

Quando ouço uma história eu sempre me interesso em saber sobre aquilo que ninguém se interessou, eu presto atenção nos detalhes, faço perguntas sobre o que não foi contado, reparo no comportamento do narrador, na respiração, no olhar.  Sou intuitiva até a alma, trouxe isso de outras vidas, com toda certeza. Minha intuição é tão certeira que a chamo de melhor amiga, apesar de nem sempre ter me trazido boas notícias, mas não rejeito seus conselhos. Não mais.

Meu faro com pessoas é canino, eu reconheço fácil gente mal intencionada, embora já tenha me deixado enganar algumas vezes. O faro é canino, mas o coração é humano, às vezes ele dá bobeira. Mas esses tombos não prejudicaram a minha capacidade de sonhar ou tiraram a minha fé nas pessoas. Sou dessas que quando ama, ama de graça, mas amar de graça não quer dizer fazer caridade, eu espero sim o mínimo de reciprocidade e consideração.

Sonho muito e incentivo os outros a sonharem também, acolho esses sonhos como se também fossem meus e gosto de acompanhar até que se realizem. Me preocupo em acolher também aqueles que visivelmente encontram-se feridos, faço o que posso para tentar sarar os danos emocionais que possuem, ainda que seja só com abraços. Ofereço os sentimentos bons que gosto de cultivar em mim, de bandeja, aos que se abrem para receber, assim sinto que me liberto daquilo que mais rejeito no ser humano, o egoísmo.

Minha capacidade de superação vem de uma fonte inesgotável, é uma força invisível que me mantém de pé, a cada queda levanto mais forte, faço mais planos e me sinto mais determinada. Sou forjada dessa vontade insana de ir mais longe, os “nãos” da vida não me amedrontam. Se construírem um muro no meu caminho, eu crio asas.

Sempre carrego nos bolsos um punhado de esperança. Minha alma se alimenta de amores, risadas e histórias.  Sou dessas racionais que se emocionam com filmes bobos e crianças. Gosto de manter o otimismo e pensamentos positivos, isso traz a leveza que preciso para atravessar os dias. Sou feita de um tecido transparente, que transforma dor em rima. Uso o tempo como aliado e sou de me doar inteira para aqueles momentos que ressignificam a vida.

EU SEI E VOCÊ SABE

Eu sei que às vezes parece que você tá carregando o mundo nas costas. Você até acorda com motivação, faz planos para semana toda, quer colocar a matéria acumulada em dia, zerar os processos na firma, fazer meia hora de caminhada, também quer manter o bom humor, faz questão de ser gentil com cada pessoa que cruza com você, se preocupa em elogiar e fazer com que as pessoas se sintam importantes, mas aí alguém vem com um balde de frustração e joga uma carga grande em você.

Eu sei que você se pergunta onde está a reciprocidade, que você já pensou em largar tudo, voltar para casa, se esconder no quarto, embaixo do edredom, e nunca mais sair. Ou meter o pé na estrada e não deixar endereço. Afinal, isso tudo faz algum sentido?  Pensar nos outros, planejar casa segundo de vida, criar milhões de expectativas com esses planos e ainda ter que se preparar para desviar das pessoas que estão prontas para triturar os seus projetos, há quem se alimente da infelicidade alheia.

Eu sei que você se frustra com isso, fica triste, perde a fé, cansa, chora, desanima, chega a pensar que as coisas bonitas da vida não foram feitas para você. Que tudo é sempre mais difícil no seu caminho, que não vale a pena oferecer gentilezas, ser do bem ou fazer planos, porque as pessoas são máquinas de moer sonhos, o mundo anda cheio de desencantos e você se sente cada vez mais só.

Eu também sei que vai parecer clichê, mas não desanima. São pessoas iguais a você que sustentam o mundo, por isso você sente bem mais que os outros, porque você nasceu com a alma sensível e recheada de delicadezas. Você se importa com o outro, e o ato de se importar é uma rebeldia, é uma transgressão. Mas não desiste. Você sente que não se encaixa nesse mundo porque você nasceu com a missão de criar um mundo novo, contaminando as pessoas com o que você tem de mais bonito, se importar e ser do bem.

Desejo que o seu dia seja colorido de gentilezas e reciprocidade! Gratidão por não desistir!